Pular para o conteúdo principal

TRES POEMAS - JALALUDDIN RUMI


Jalaluddin Rumi - Três Poemas
Penso o dia todo sobre isso, então à noite eu digo.
De onde vim e o que eu deveria estar fazendo?
Não faço a menor ideia.
Minha alma é de algum outro lugar, disso tenho certeza
E pretendo terminar lá.
Essa embriaguez começou em alguma outra taberna.
Quando retornar para aquele lugar estarei totalmente sóbrio.
Enquanto isso sou como um pássaro de outro continente,
sentado neste aviário.
Está chegando o dia em que voarei,
Mas quem é este agora em meus ouvidos que escuta a minha voz?
Que diz palavras com a minha boca?
Que olha através de meus olhos? O que é a alma?
Não consigo parar de perguntar.
Se pudesse degustar um único gole de uma resposta,
Eu poderia sair desta prisão para bêbados.
Não vim para cá por livre e espontânea vontade,
E não posso sair dessa forma.
Quem quer que tenha me trazido aqui
terá que me levar para casa.
Nesta poesia nunca sei o que vou dizer.
Eu não a planejo.
Quando estou fora de seu cantar,
Fico muito quieto e raramente digo coisa alguma.
________________________________
Há uma comunidade do espírito.
Junte-se a ela e sinta o deleite
de caminhar por uma rua barulhenta
E ser o barulho.
Beba todas as suas paixões e seja uma desgraça.
Feche os dois olhos para ver com o outro olho.
Abra suas mãos se você quer ser pego.
Sente-se neste círculo.
Deixe de agir como um lobo
e sinta o amor do pastor lhe preencher.
À noite, seu amado vagueia.
Não aceite consolações.
Feche sua bocapara a comida.
Sinta a boca do amado na sua.

Você lamenta: “Ela me deixou”. “Ele me deixou”.
Vinte mais virão.
Esvazie-se de preocupações.
Pense em quem criou o pensamento!
Por que você fica na prisão
quando a porta está tão escancarada?
Saia do emaranhado de pensamentos temerosos.
Viva no silêncio.
Flua continuamente em anéis de ser sempre em expanção.
___________________________
Ouça o poeta Sanai, que viveu em reclusão:
“Não vagueie pela estrada durante seu êxtase.
Durma na taberna.”

Quando um ébrio desvia-se para as ruas
as crianças fazem piada dele.

Ele cai na lama. Ele toma toda e qualquer estrada.
As crianças seguem-no, não conhecendo o gosto do vinho
Ou como é sentir sua embriaguez.
Todas as pessoas no planeta são crianças, salvo muito poucos.
Ninguém é adulto, exceto aqueles que são livres dos desejos.
Deus disse: “O mundo é um jogo, um jogo de criança e vocês
são as crianças.”
Deus fala a verdade.
Se você não abandonou as brincadeiras de criança,
como pode ser um adulto?
Sem pureza de espírito, se você ainda está no meio da
luxúria e da ganância e de outros desejos,
você é como uma criança brincado de sexo.
Eles digladiam e se esfregam, mas isso não é sexo.
O mesmo é com as lutas da humanidade.
É uma disputa com espadas de brinquedo.
Sem propósito, totalmente fútil.
Como garotos em cavalos de passeio,
os soldados dizem estar galopando Boraq,
o cavalo noturno de Maomé, ou Duldul, sua mula.

Suas ações não significam nada,
o sexo e a guerra que você faz.
Você está segurando parte de suas calçase dançando por aí.
Não espere morrer para ver isso.
Reconheça que sua imaginação e seu pensamento
E seu senso de percepção são pedaços de cana
Que as crianças cortaram e fingem que são seus cavalos.
O saber dos amantes místicos é diferente.
As ciências empíricas, sensoriais, são como um asno
carregado de livros,
Ou como a maquiagem de uma mulher,
Ela desbota.
Mas se você levantar a bagagem da maneira certa,
ela dará alegria.
Não carregue sua carga de conhecimento
por alguma razão egoísta.
Negue seus desejos e sua teimosia,
E um monte real pode aparecer sob você.
Não se satisfaça com o nome de HU,
Com apenas palavras sobre ele.
Experimente essa respiração.
De livros e palavras vem fantasia e às vezes, da
fantasia vem a união.

Postagens mais visitadas deste blog

OS SUFISTAS

Escrito por Robert Graves, para o livro "Os Sufis", de Idries Shah

Os sufis são uma antiga maçonaria espiritual cujas origens nunca foram traçadas nem datadas; nem eles mesmos se interessam muito por esse tipo de pesquisa, contentando-se em mostrar a ocorrência da sua maneira de pensar em diferentes regiões e períodos. Conquanto sejam, de ordinário, erroneamente tomados por uma seita muçulmana, os sufis sentem-se à vontade em todas as religiões: exatamente como os "pedreiros-livres e aceitos", abrem diante de si, em sua loja, qualquer livro sagrado - seja a Bíblia, seja o Corão, seja a Torá - aceito pelo Estado temporal. Se chamam ao islamismo a "casca" do sufismo, é porque o sufismo, para eles, constitui o ensino secreto dentro de todas as religiões. Não obstante, segundo Ali el-Hujwiri, escritor sufista primitivo e autorizado, o próprio profeta Maomé disse: "Aquele que ouve a voz do povo sufista e não diz aamin (amém) é lembrado na presença de Deus …

A MESQUITA DO SUFI - HAZRAT INAYAT KHAN

O Sufi vê a verdade em todas as religiões, não diz que uma religião não é sua religião.
Hindus e Muçulmanos visitam igualmente o túmulo dos grandes santos Sufis.
Como, por exemplo visitam o túmulo Munid Ud-Din Chisti em Ajmer.
O Sufi vê só uma Verdade em todas as formas.
Se convidarem um Sufi para visitar e fazer preces numa igreja cristã, prontamente aceita.
Se quiserem levá-lo a uma sinagoga pedindo-lhe que ore como os israelitas, faz isso com prazer.
Entre os Muçulmanos rezará o Nimaz com eles.
No templo hindu o Sufi vê o mesmo Deus, o Deus vivo, no lugar do ídolo.
No templo de Buddha sente-se inspirado e não se deixa cegar pela idolatria.
A verdadeira mesquita do Sufi é seu Coração, onde vive o Bem-Amado,
Que é adorado tanto Pelos muçulmanos como pelos Kufrs.

Hazrat Inayat Khan Fonte:http://william-infinito.blogspot.com.br/2010/02/

A ALQUIMIA DO AMOR : POESIA DE HUMI

A Alquimia do Amor : Poesia de Humi

O primeiro parágrafo do capítulo 15, em que Rumi fala da FONTE UNA. a obra Fihi-ma-fihi ou O livro do interior, publicado há alguns anos no Brasil pelas Edições Dervish

Há no homem um amor, uma dor, uma inquietude, um apelo que, mesmo se tivesse cem mil universos, não encontraria calma e repouso. As pessoas exercem todos os tipos de profissão, de negócios, e fazem todos os tipos de estudos – medicina, astronomia etc. – mas não encontram repouso, pois seu objetivo não é alcançado. Chama-se o Bem-Amado de ´repouso da alma´; e como seria possível encontrar repouso e quietude senão n´Ele? (p. 96).
**** Nas páginas do Fihi-ma-fihi também se encontra uma série de histórias contadas pelo mestre RUMI.  Uma das histórias de que fala da amizade:
“Uma grande caravana viajava e não encontrava cidade alguma, nem água. De repente, encontraram um poço, mas eles não tinham nenhum balde. Pegaram um caldeirão e cordas, e deixaram-no descer até o fundo do poço. Puxaram o c…